ADJETIVOS E ARGUMENTAÇÃO EM FOCO: Uma Análise dos Textos de Campanha Política Eleitoral de Marcelo Crivella

ADJECTIVES AND ARGUMENTATION IN FOCUS: An Analysis of the Campaign Texts Electoral policy of Marcelo Crivella

  • Aline Mendes Amantes

Resumo

Este artigo analisa o uso e os tipos de adjetivos na construção dos textos de campanha política eleitoral de Marcelo Crivella, nas eleições de 2008, à luz dos pressupostos teóricos e descritivos referentes à conceituação dessa classe gramatical pelas gramáticas normativas e descritivas, sobretudo em relação às estratégias utilizadas para a argumentação desses textos. Assim, a discussão a respeito do uso e dos tipos de adjetivos permite-nos avaliar o planejamento argumentativo desses textos do âmbito da propaganda política, os quais foram construídos com base no uso de diferentes tipos dessa classe gramatical.


Abstract:


This article analyzes the use and types of adjectives in the construction of Marcelo Crivella 's electoral campaign campaign texts in the 2008 elections, in the light of the theoretical and descriptive assumptions regarding the conceptualization of this grammatical class by normative and descriptive grammars, especially in relation to strategies used for the argumentation of these texts. Thus, the discussion about the use and types of adjectives allows us to evaluate the argumentative planning of these texts from the scope of political propaganda, which were constructed based on the use of different types of this grammatical class.

Referências

ABREU, Antônio Suárez. A arte de argumentar: gerenciando razão e emoção. São Paulo: Ateliê editorial, 1999.

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da língua portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2008.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro: Lucerna, 1999.

BRETON, Philippe. Argumentação na comunicação. São Paulo: Edusc, 2003.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2007.

CITELLI, Adilson. Linguagem e persuasão. São Paulo: Ática, 2004.

COHEN, Jean. Estrutura da linguagem poética. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1976.

CUNHA, Celso &CINTRA, Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Lexikon, 2013.

FERNANDES, Eulália. Classes de palavras: um passeio pela história (a.D. e d.D.) e uma proposta de análise formo-funcional. In: VALENTE, André. Língua, linguística e literatura. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.

FIORIN, José Luiz. Adjetivos temporais e espaciais. In: ABAURRE, Maria Bernadete M. & RODRIGUES, Angela C. S. (orgs.). Gramática do português falado – Vol. VII: novos estudos descritivos. Campinas/São Paulo: Editora da UNICAMP, 2002.

FONSECA, Joaquim. Estudos de sintaxe-semântica e pragmática do português. Porto: Porto Editora, 1993.

FRANCHI, Carlos. Mas o que é mesmo “gramática”? São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

GARCIA, Othon M. Comunicação em prosa moderna. 19ª ed. Rio de Janeiro: FGV, 2000.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. São Paulo: Cortez, 2001.

MATEUS, Maria Helena Mira et al. Gramática da língua portuguesa. Lisboa: Editorial Caminho, 2003.

NEVES, Maria Helena de Moura. A vertente grega da gramática tradicional. São Paulo: HUCITEC; [Brasília]: Editora Universidade de Brasília, 1987.
_____. Gramática de usos do português. São Paulo: UNESP, 2000.

PERELMAN, Chaïm&OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado de argumentação: a nova retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 2001.

VALENTE, André C. Argumentação e textualidade em crônicas jornalísticas. IN: VALENTE, André C. & PEREIRA, Mª Teresa G. Língua Portuguesa: descrição e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

VAN DIJK, Teun A. Discurso, notícia e ideologia: estudos na análise crítica do discurso. Porto: Campo das Letras, 2005.
Como Citar
AMANTES, Aline Mendes. ADJETIVOS E ARGUMENTAÇÃO EM FOCO: Uma Análise dos Textos de Campanha Política Eleitoral de Marcelo Crivella. Episteme Transversalis, [S.l.], v. 9, n. 2, set. 2018. ISSN 2236-2649. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/index.php/episteme/article/view/975>. Acesso em: 21 nov. 2018.