ESTUDO CONTRASTIVO ENTRE CONCEITOS DE GÊNERO E GRAU: É Flexão ou Derivação?

CONTRASTING STUDY BETWEEN GENDER AND DEGREE CONCEPTS: Is Flexion or Derivation?

  • Carine Ribeiro Pessoa
  • Patricia Ferreira Botelho

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir os conceitos de gênero e grau tomando, como ponto de partida, a perspectiva tradicional das gramáticas para o estudo da estrutura e formação de palavras em língua portuguesa nas escolas. Ainda não se esgota a possibilidade de discussão desse tema a fim de fundamentar a discussão acerca do processo de flexão e derivação e, para embasar as discussões, teremos como referência os estudos de Gonçalves (2005) e Seabra (2006). Para tanto, será feito um estudo bibliográfico acerca do tema, seguido pela análise de materiais didáticos largamente empregados no Ensino Médio.


Abstract


The aim of this article is to discuss the concepts of gender and grade, taking as a starting point the traditional perspective of grammar for the study of the structure and formation of words in Portuguese language in schools. It is not yet possible to discuss this topic in order to base the discussion on the process of bending and derivation, and to base the discussions, we will have as reference the studies of Gonçalves (2005) and Seabra (2006). To do so, a bibliographic study about the subject will be done, followed by the analysis of didactic materials widely used in High School.

Referências

BOTELHO, P. F. Conhecimento prévio e atividades escolares de leitura - uma abordagem cognitiva e metacognitiva. Tese de Doutorado em Letras Vernáculas (opção: Língua Portuguesa). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2015.

CAMARA JR., J. M. Estrutura da língua portuguesa. 44 . ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1970.

GONÇALVES, C. A. Flexão e derivação: o grau. In: VIEIRA, S. R. e BRANDÃO, S. F. (orgs.). Ensino de gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto, 2005.

CUNHA, C. e CINTRA, L. F. L. Nova gramática do português contemporâneo. 5 . ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2008.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. 8. ed. Campinas, SP: Pontes, 1992.

LIMA, Robson Luiz Rodrigues de. Língua Portuguesa: ensino médio, 1ª série/ Robson Luiz Rodrigues de Lima: Ilustrações André Múller...[et. Ali.] – Curitiba: Positivo, 2010.v:2: il.. Sistema Positivo de Ensino.

CEREJA, William Roberto e MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens. volume 2 – 6 ª.ed. reform. – São Paulo: Atual, 1998.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique da. Gramática Normativa da língua portuguesa. 45ª Ed. – Rio de Janeiro: José Olympio, 2006.

VARGAS, Diego da Silva. (2012). O plano inferencial em atividades de leitura: livro didático, cognição e ensino. Dissertação de Mestrado em Letras Vernáculas (opção: Língua Portuguesa). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Como Citar
PESSOA, Carine Ribeiro; BOTELHO, Patricia Ferreira. ESTUDO CONTRASTIVO ENTRE CONCEITOS DE GÊNERO E GRAU: É Flexão ou Derivação?. Episteme Transversalis, [S.l.], v. 9, n. 2, set. 2018. ISSN 2236-2649. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/index.php/episteme/article/view/980>. Acesso em: 21 nov. 2018.