ENTREVISTA: Uma Possibilidade de Ampliação da Competência da Escrita por meio da Retextualização

INTERVIEW: A Possibility of Extending the Competence of Writing through Retextualization

  • Gleiciane Rosa Vinote Rocha

Resumo

Este trabalho busca explicitar uma proposta didática realizada com alunos do oitavo ano do ensino fundamental em torno do gênero entrevista. Para isso, objetivou-se a produção de uma entrevista oral com personalidades de um bairro, e posteriormente, a retextualização para a modalidade escrita (MARCUSHI, 2010). Tais atividades estão ancoradas na abordagem de ensino de gêneros textuais de Schneuwly & Dolz (2011), bem como nas noções de língua como uma forma de enunciação humana e ato social Marcuschi (2010). Esta proposta visa ao aperfeiçoamento da competência comunicativa oral do aluno, haja vista a pouca ênfase no desenvolvimento dessa habilidade no universo escolar. (FÁVERO, ANDRADE e AQUINO, 1999). A sequência didática contribuiu para amenizar as dificuldades que os alunos possuíam em relação ao uso de marcadores orais em textos escritos, assim como a postura de interação num discurso oral.


Abstract 


This work seeks to make explicit a didactic proposal made with eighth grade students of elementary school around the genre interview. For this, the objective was to produce an oral interview with personalities from a neighborhood, and later, the retextualization to the written modality (MARCUSHI, 2010). Such activities are anchored in Schneuwly & Dolz's (2011) textual genre approach as well as in the notions of language as a form of human enunciation and social act Marcuschi (2010). This proposal aims to improve the student's oral communicative competence, given the lack of emphasis on the development of this ability in the school universe. (FÁVERO, ANDRADE and AQUINO, 1999). The didactic sequence helped to alleviate the difficulties students had in relation to the use of oral markers in written texts, as well as the posture of interaction in an oral discourse.


 

Referências

BAGNO, Marcos. Português ou brasileiro? um convite à pesquisa. 4 ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. (3º e 4º ciclos do ensino fundamental). Brasília: MEC, 1998.

FÁVERO, L. L.; ANDRADE, M. L. C. V. O.; AQUINO, Z. G. O. Oralidade e escrita: perspectivas para o ensino de língua materna. 8. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

NEVES, Maria Helena de Moura. Que gramática estudar na escola?. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2004;

ROJO, R. H. R. & CORDEIRO, G. Gêneros orais e escritos: modos de pensar e modos de fazer. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004, p. 45-84.
Como Citar
ROCHA, Gleiciane Rosa Vinote. ENTREVISTA: Uma Possibilidade de Ampliação da Competência da Escrita por meio da Retextualização. Episteme Transversalis, [S.l.], v. 9, n. 2, set. 2018. ISSN 2236-2649. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/index.php/episteme/article/view/981>. Acesso em: 21 nov. 2018.