A EFICÁCIA DA TOXINA BOTULÍNICA NO TRATAMENTO DA HIPERIDROSE

  • Marcella da Silva Conceição
  • Tatiana a de Oliveira Fulco

Resumo

O suor se faz necessário para o funcionamento do nosso organismo, visto que ele é o responsável pela termorregulação corporal, porém em algumas pessoas o suor em excesso é causado por uma hiperfuncionalidade das glândulas sudoríparas. Esse transtorno é conhecido como hiperidrose, que é uma condição caracterizada pela excessiva produção de suor além das necessidades termorreguladoras do organismo. Essa afecção acomete tanto homens como mulheres entre 16 a 41 anos de idade e acarreta sério desequilíbrio social, psicológico e ocupacional, gerando impacto considerável na vida profissional destes indivíduos. O desconforto físico e a baixa autoestima refletem nas consequências desta disfunção. Com o avanço de estudos, diversos tratamentos vieram à tona para tratar a hiperidrose e um deles é a utilização da toxina botulínica, essa toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum age na fenda sináptica, impedindo a liberação de acetilcolina, reduzindo a estimulação das glândulas sudoríparas. Portanto, o objetivo deste trabalho foi revisar a eficácia da toxina botulínica no tratamento da hiperidrose, destacando a técnica e seus efeitos. Para realização deste trabalho foram utilizados trabalhos científicos selecionados em plataformas virtuais, tais como: Scielo, Google Acadêmico, Pubmed entre outras. Sendo assim, atualmente, a toxina botulínica tem se mostrado de grande relevância no tratamento de hiperidrose, visto que, ela apresenta cerca de 75% de eficácia na diminuição do suor, assim como baixo risco de complicações.

Como Citar
DA SILVA CONCEIÇÃO, Marcella; A DE OLIVEIRA FULCO, Tatiana. A EFICÁCIA DA TOXINA BOTULÍNICA NO TRATAMENTO DA HIPERIDROSE. Simpósio, [S.l.], n. 10, abr. 2022. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2487>. Acesso em: 25 fev. 2024.