COFFEA ARABICA E SEUS CAMINHOS DO PLANTIO ÁS RELAÇÕES DE PODER NO VALE DO PARAÍBA DO SUL

  • Antônio Carlos da Silva
  • Gislene da Cruz Braz
  • Iam Martins Senna

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar o processo de escolha do café como principal produto da economia do Império brasileiro nas décadas que antecedem seu ápice, mais especificamente na região de Vassouras e Valença, no Vale do Paraíba do Sul. Tendo em vista que outros produtos foram colocados em pauta, pretendemos expor quais foram as pesquisas e influências que embasaram os argumentos em prol da escolha do café nesse dado momento, e através de que meios se disseminaram essas informações. Após sua chegada em solo brasileiro, por volta de 1730, o fruto se espalhou sem intuito comercial. Com o avanço da Revolução Industrial, criava-se no cenário internacional uma demanda crescente por produtos de cunho energético. Logo analisou-se a sua escolha para nortear a economia brasileira. Entre os argumentos usados a seu favor, temos o manual de plantio e colheita do café lançado em 1836 pelo Padre João Joaquim Ferreira de Aguiar, usado para o convencimento dos fazendeiros quanto ao plantio do café em suas terras. A metodologia se deu com pesquisas bibliográficas que se debruçaram sobre livros, artigos e teses de doutorado que abordam o tema. Através disso foi possível analisar todo o processo de expansão do Ouro Verde na região e também foi feita uma pesquisa de campo na Fazenda Florença, situada na cidade de Valença/RJ. Dentro deste contexto, o resultado se deu de forma satisfatória, trazendo à tona todo o desenrolar e todos os caminhos que o Coffea Arábica percorreu para se tornar um produto que trouxe uma extrema opulência a região, no século XIX.

Como Citar
DA SILVA, Antônio Carlos; BRAZ, Gislene da Cruz; SENNA, Iam Martins. COFFEA ARABICA E SEUS CAMINHOS DO PLANTIO ÁS RELAÇÕES DE PODER NO VALE DO PARAÍBA DO SUL. Simpósio, [S.l.], n. 8, fev. 2020. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/1950>. Acesso em: 24 jan. 2021.