ANTIBIOGRAMA DE ENTEROCOCCUS ISOLADOS DE CARCAÇAS DE FRANGOS

  • Felipe Mactavisch da Cruz
  • Letícia Rodrigues da Silva
  • Pedro Paulo Silva Martins

Resumo

Diversos estudos correlacionam o uso de promotores de crescimento animal ao surgimento de amostras de Enterococcus sp. multirresistentes. Essas amostras bacterianas podem colonizar humanos e acabar sendo levadas ao ambiente hospitalar, onde podem causar infecções de difícil tratamento em pacientes imunocomprometidos. Sendo assim, o monitoramento dessas amostras no ambiente, inclusive nos alimentos, se faz necessário. O presente trabalho objetivou traçar o perfil de susceptibilidade aos antimicrobianos de Enterococcus isolados de carcaças de frango obtidas em pontos comerciais da região Sul-Fluminense. Meios de cultura seletivos e indicadores foram utilizados para a obtenção das amostras bacterianas. A identificação das espécies foi realizada utilizando espectrometria de massa (pela técnica de MALDI-TOF). Cento e sessenta amostras bacterianas foram isoladas, das quais 150 foram identificadas a nível de espécie: 129 Enterococcus faecalis, 12 E. faecium e 9 E. hirae. Oitenta amostras foram testadas frente a 10 antimicrobianos utilizando a técnica de Kirby-Bauer. Foram encontradas 25 (31,25%) amostras multirresistentes (resistentes a antimicrobianos pertencentes a três ou mais classes distintas). A não-susceptibilidade mais encontrada foi à tetraciclina (52 amostras; 65,0%). Esses resultados apontam para a necessidade de uma maior fiscalização nas criações de frangos e conscientização das empresas criadoras.

Como Citar
CRUZ, Felipe Mactavisch da; SILVA, Letícia Rodrigues da; MARTINS, Pedro Paulo Silva. ANTIBIOGRAMA DE ENTEROCOCCUS ISOLADOS DE CARCAÇAS DE FRANGOS. Simpósio, [S.l.], n. 9, fev. 2021. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2222>. Acesso em: 23 abr. 2021.