AS PROPRIEDADES ASPECTUAIS DE PERFECT NA AQUISIÇÃO DE INGLÊS COMO L2

Uma Proposta Metodológica

  • Juliana Barros Nespoli
  • Arthur Döhler Machado Fernandes

Resumo

O presente trabalho constitui-se como uma etapa essencial de uma pesquisa mais ampla, cujo objetivo geral é contribuir para o entendimento da aquisição de propriedades aspectuais na L2. Mais especificamente, pretende-se investigar a aquisição do aspecto perfect, universal e existencial, por falantes de português brasileiro aprendizes de inglês como língua estrangeira. Assim, desenvolvemos um teste linguístico de produção a ser aplicado a esses falantes. Almejando assegurar a eficácia desse teste, uma etapa preliminar desse estudo é relatada neste trabalho, que concerne na aplicação do teste a falantes nativos do inglês norte-americano. O teste linguístico é de preenchimento de lacuna e é composto por 20 histórias com 5 opções de resposta para as lacunas, sendo os participantes livres para assinalarem quantas alternativas desejassem. Conclui-se que o procedimento metodológico, em geral, é eficiente na detecção das realizações de perfect no inglês. Para a investigação de perfect universal, nota-se a descoberta de uma nova variável que parece implicar na escolha da morfologia verbal, produto de duas subcategorias de verbos em diferentes contextos: os que apresentam iteração ou não. Para comprovar essa hipótese, essa nova variável requer análises mais detidas em estudos futuros, levantando a possibilidade de o que compreendemos como perfect universal não ser algo uniforme, podendo ser subdividido em categorias distintas. Portanto, ressaltamos a necessidade de reformulação das histórias de perfect universal do teste, em decorrência dessa nova variável, assim como futuras alterações em uma das histórias distratoras. No caso das histórias de perfect existencial, não há alterações a serem realizadas.

Como Citar
NESPOLI, Juliana Barros; FERNANDES, Arthur Döhler Machado. AS PROPRIEDADES ASPECTUAIS DE PERFECT NA AQUISIÇÃO DE INGLÊS COMO L2. Simpósio, [S.l.], n. 9, fev. 2021. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2243>. Acesso em: 23 abr. 2021.