O PAPEL DA ESCOLA COMO REDE DE PROTEÇÃO NA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL

  • Simone Alves de Medeiros
  • Nathane Palmeira Ferreira
  • Vanessa Lopes Bueno

Resumo

O estudo em questão discorre sobre um grave problema social, que historicamente mostra-se como prática recorrente desde o desenvolvimento da humanidade: a exploração do trabalho infantil. Milhares de crianças e adolescentes trabalham expostos a condições desumanas e a falta de políticas públicas aplicadas de maneira eficaz ainda permitem um volume significativo na inserção prematura dos infantes no mercado de trabalho periférico e marginal. Como tema relevante para a educação por tratar-se de violações de direitos que impactam diretamente na aprendizagem, e, a escola, como instituição que deve ser atuante numa perspectiva integrada junto à Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente, o referido trabalho tem como objetivo compreender a origem do trabalho infantil, sua interferência no processo de aprendizagem da criança e do adolescente, identificando a responsabilidade da escola e seus desafios. Às comissões intersetoriais, em que se incluem, redes de proteção, conselhos tutelares, CREAS (Centro de Referência Especializada de Assistência Social), cabe a criação dos planos de ação, verificação e resgate dessas crianças e adolescentes. À escola, a sensibilização da especificidade do seu papel, que ainda é uma questão pouco referida. Por essa razão a necessidade de fortalecer e afirmar categoricamente a educação como resposta para impactar na erradicação ao trabalho infantil.

Como Citar
MEDEIROS, Simone Alves de; FERREIRA, Nathane Palmeira; BUENO, Vanessa Lopes. O PAPEL DA ESCOLA COMO REDE DE PROTEÇÃO NA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL. Simpósio, [S.l.], n. 9, fev. 2021. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2257>. Acesso em: 26 out. 2021.