O PRÉSTIMO UTILITÁRIO DE VIGAS DE CONCRETO ARMADO E PROTENDIDO

Uma Análise Comparativa

  • Weslen Neri de Lima
  • Eder José Siqueira
  • Gustavo Ferreira da Silva Montes
  • Marcelo Quinelato dos Santos

Resumo

Muitas vezes na construção civil, após ajustar o projeto à necessidade de feitura, surge o desafio de nortear estratégias e ações para suprimir grandes vãos, sobretudo, quando há cargas elevadas. Assim, faz-se necessário analisar quando utilizar o artificio de protensão e quando a opção deve ser a de concreto armado. Ambos métodos possuem benefícios e especificidades, mas é importante analisar em que situações a estrutura escolhida se torna mais econômica e com maior vida útil. Neste artigo, um estudo comparativo busca apresentar características de adequação entre uma viga bi apoiada de concreto armado convencional com uma viga bi apoiada de concreto protendido. Para fins de pesquisa, foram calculadas as áreas de aço para resistir ao momento fletor e ao esforço cortante gerados pelas ações solicitantes nas vigas acima citadas. Como conclusão, pode-se afirmar que o artificio de protensão em grandes vãos, mais comumente, atende às necessidades no âmbito civil, por se tornar mais econômico e mais duradouro.

Como Citar
LIMA, Weslen Neri de et al. O PRÉSTIMO UTILITÁRIO DE VIGAS DE CONCRETO ARMADO E PROTENDIDO. Simpósio, [S.l.], n. 9, fev. 2021. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2305>. Acesso em: 26 out. 2021.