AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DE Lactobacillus spp. FRENTE A Escherichia coli E Staphylococcus aureus

  • Ilana Menezes Tavares
  • Nicole Aparecida Cleto Câmpora
  • Felipe Mactavisch da Cruz

Resumo

A conservação de laticínios se mostra problemática uma vez que os aditivos químicos utilizados possivelmente causam malefícios para a saúde humana. Este cenário culmina no aumento do interesse em buscar melhorias da qualidade dos produtos lácteos, especialmente pela procura de métodos de conservação mais naturais e benéficos. Como bactérias lácteas já são comumente encontradas em laticínios e suas vantagens como agentes probióticos são conhecidas, estudos que avaliem o potencial de conservação das mesmas se mostram urgentes. O presente trabalho avaliou o potencial antibacteriano individual de três espécies de lactobacilos (Lactobacillus acidophilus; Lactobacillus rhamnosus e Lactobacillus casei) e as mesmas juntas em um Pool sobre amostras de duas espécies de bactérias patogênicas (Escherichia coli e Staphylococcufgs aureus), seguindo a metodologia Spot-on-the-lawn, adaptado de Poppi e colaboradores (2015) em duas triplicatas. Para a coleta de resultados, a distância entre a colônia de lactobacilo e da bactéria padrão foi medida em milímetros. Os resultados médios obtidos frente E. coli apresentaram os seguintes resultados: L.acidofilus, 7,38 mm; L.casei 6,52 mm; L.rhamnosus 7,82 mm; Pool 8,09 mm. Por outro lado, para o S. aureus, foram observadas as seguintes médias de distância: L. acidophilus, 6,31 mm; L. casei, 5,55 mm; L. rhamnosus, 4,57 mm; Pool 4,92 mm. Esses resultados indicam que os lactobacilos se mostram promissores para o uso como conservantes naturais de laticínios fermentados, ressaltando que o Pool tem apresentado melhores resultados sobre a E.coli, enquanto L. acidophilus foi a que mais se destacou frente o S. aureus.

Como Citar
MENEZES TAVARES, Ilana; APARECIDA CLETO CÂMPORA, Nicole; MACTAVISCH DA CRUZ, Felipe. AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DE Lactobacillus spp. FRENTE A Escherichia coli E Staphylococcus aureus. Simpósio, [S.l.], n. 10, abr. 2022. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2470>. Acesso em: 12 jun. 2024.