ANÁLISE HISTÓRICO-ETIMOLÓGICA DA UNIFICAÇÃO ORTOGRÁFICA DOS PAÍSES LUSÓFONOS

  • Erick Corrêa Pinto Soares
  • Pedro Szydlonski Santos
  • Nayara Silva de Alcantara

Resumo

O presente artigo objetiva apresentar, inicialmente, por meio de uma análise descritiva, aspectos fundamentais na análise da ortografia, como seu sentido, motivo, base de estudo e evolução histórica e etimológica para, a partir disso, examinar a posição crítica do acordo ortográfico vigente. Visamos apresentar uma descrição de como os acordos ortográficos entre os países lusófonos, isto é, falantes de língua portuguesa, a saber: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, desenvolveram-se e quais aspectos políticos e sociológicos influenciaram nesse processo até que chegássemos, em 1990, a um novo acordo ortográfico que seria adotado por todos os países e seria alvo de uma série de críticas e elogios que serão analisados. As considerações aqui tecidas visam elucidar a trajetória histórico-etimológica da ortografia do português a fim de possibilitar uma compreensão detalhada dos resultados que foram obtidos hodiernamente e do que ainda deve ser alcançado para que se estabeleça isonomia e uma efetiva integração ortográfica dos países lusófonos, entre a língua portuguesa em sua modalidade escrita. Para isso, o presente trabalho se vale de uma metodologia qualitativa-descritiva, além de realizar uma revisão bibliográfica de autores relevantes.

Como Citar
CORRÊA PINTO SOARES, Erick; SZYDLONSKI SANTOS, Pedro; SILVA DE ALCANTARA, Nayara. ANÁLISE HISTÓRICO-ETIMOLÓGICA DA UNIFICAÇÃO ORTOGRÁFICA DOS PAÍSES LUSÓFONOS. Simpósio, [S.l.], n. 10, abr. 2022. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2552>. Acesso em: 21 maio 2024.