A PRÁTICA DO JUDÔ COMO BENEFÍCIO PSICOMOTOR E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE PESSOAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA)

  • Diogo Lopes dos Santos Melo
  • Felipe Assis
  • Sandro Gonzaga de Aredes

Resumo

O Judô foi criado no Japão no século XlX, uma arte marcial criada por Jigoro Kano que criou o seu próprio estilo de luta, com base no Jujútsu que por muitos anos foi a luta mais praticada por todo o país, porém muitos alunos machucavam, a essa arte fui criada para ser uma arma na guerra, como Japão vivia um novo tempo o mestre kano desenvolver o caminho suave e com o passar dos anos foi aperfeiçoando a técnica. Dizia o mestre que seu sonho era que o judô fosse praticado por todo o mundo e esse sonho se concretizou e chegou ao brasil na imigração no ano de 1920, foi tão bem-vista que a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) reconheceu que o Judô é uma arte marcial mais indicada no mundo para crianças e adolescentes, pois ele contribui para um melhor desenvolvimento motor e psicossocial, dando aos alunos disciplina e ensinado valores humanitários (CUNHA, 2013). O Judô também pode ser uma ferramenta terapêutica, educacional por gerar uma boa forma física, controle motor e atitudes psicossociais. Esse esporte se faz importante não só para as pessoas e ainda mais para quem tem o transtorno autista.

Como Citar
LOPES DOS SANTOS MELO, Diogo; ASSIS, Felipe; GONZAGA DE AREDES, Sandro. A PRÁTICA DO JUDÔ COMO BENEFÍCIO PSICOMOTOR E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE PESSOAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA). Simpósio, [S.l.], n. 10, abr. 2022. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2597>. Acesso em: 24 fev. 2024.