A NOTIFICAÇÃO DOS CASOS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA PELOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM E AGENTES DE SAÚDE ÀS VIGILÂNCIAS EPIDEMIOLÓGICAS

O CASO DA REGIÃO SUL-FLUMINENSE

  • UGB FERP UGB
  • Caroline Mendonça
  • Érica de S. Souza
  • Tathiana Moreno

Resumo

O objetivo principal desse estudo foi o de avaliar a questão da notificação dos casos de violência doméstica perpetrados contra crianças, adolescente e mulheres às Vigilâncias Epidemiológicas, por parte dos profissionais de enfermagem e agentes de saúde pertencentes às unidades de saúde do Programa de Saúde da Família, dos municípios de Mendes, Piraí, Barra do Piraí e Valença, na região sul-fluminense. A metodologia utilizada, foi a qualitativa, através de entrevistas, observação participativa e diário de campo. A pesquisa demonstrou que os profissionais de saúde notificam muito pouco à Vigilância Epidemiológica de seus municípios, preferindo encaminhar os casos aos Conselhos Tutelares e Centro de Referência Especializado de Assistência Social, por demonstrarem medo de represálias por parte dos usuários e por confundirem o papel da Vigilância Epidemiológica. Verificou-se que apenas uma unidade segue o protocolo sugerido pelo Ministério da Saúde. Observou-se também a urgência de capacitação e treinamento para que os profissionais reconheçam e não banalizam a violência.

Como Citar
FERP, UGB et al. A NOTIFICAÇÃO DOS CASOS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA PELOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM E AGENTES DE SAÚDE ÀS VIGILÂNCIAS EPIDEMIOLÓGICAS. Simpósio, [S.l.], n. 2, out. 2017. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/274>. Acesso em: 20 ago. 2022.