DIA D- LUGAR DE LIXO É NO LIXO

  • UGB FERP UGB
  • Andreza Silva
  • Arielly Vimar
  • Giuliane Manzella

Resumo

OBJETIVOS DA AÇÃO


  •  Promover educação ambiental em saúde, no qual os alunos aprendam e ensinem sobre: descarte correto do lixo, reciclagem do lixo e o uso de sobras culinárias. 

  •  Sensibilizar quanto à mudança de hábitos em relação ao lixo produzido diariamente.

  •  Realizar aferição de pressão arterial e teste de glicemia capilar, aos moradores do bairro Varginha, município Valença/RJ.

 


CONTEÚDOS TRABALHADOS


Lixo


O lixo é definido como todo material inútil, descartado ou colocado em lugar público. Lixo é tudo aquilo que se “joga fora”. É o objeto ou a substância considerado inútil ou cuja existência em determinado meio é tida como nociva (Calderoni, 2003). A produção de lixo da cidade é um fator inevitável, que acontece diariamente e em composições que variam conforme o tamanho da população e o seu desenvolvimento econômico (Grippi, 2001).


Reciclagem


Reciclagem é o ato de separar certos materiais do lixo domiciliar, como: papéis, plásticos, vidros e metais, com a intenção de torná-los reutilizáveis. Tais materiais são transformados e colocados novamente no mercado de consumo (SOUZA, 2005). Reciclagem é a busca em tornar útil algo que seria descartado, fazendo com que volte ao ciclo produtivo, reduzindo a utilização de recursos naturais. Muitos objetos e substâncias podem ser reciclados e os mais comuns são: papel, vidro, metal e plástico. A conscientização ambiental de massa só será possível com percepção e entendimento do real valor do meio ambiente natural em nossas vidas. O dia em que cada cidadão compreender como essa questão afeta sua vida de forma direta e irreversível, o meio ambiente não precisará mais de defensores. Preservar o meio ambiente é preservar a própria vida, e fragilizar o meio ambiente, é fragilizar a economia, o emprego, a saúde, e todas as demais coisas (Lavorato, 2008). A reciclagem vem sendo, cada vez mais, uma alternativa para os problemas com o lixo produzido. Oferece vantagens, auxilia no prolongamento da vida útil dos aterros sanitários; prevenção à poluição do solo, da água e do ar; diminuição da extração de matérias-primas para a confecção de novos produtos; economia de água e de energia; geração de trabalho e renda para os catadores.


Doenças Veiculadas com o lixo


O lixo é desprezado de forma incorreta no chão, em córregos a céu aberto e acarretam problemas sanitários e ambientais, tornando tais locais propícios para o aparecimento de animais e insetos que acabam por se constituírem em vetores de diversas doenças. São responsáveis também pela poluição do ar, quando acontece a queima do lixo, do solo e das águas superficiais e subterrâneas. Várias doenças podem acometer o indivíduo devido ao meio ambiento mal cuidado e preservado. Por exemplo, os parasitas em geral possuem duas fases de vida: uma dentro do hospedeiro e outra no meio ambiente. Enquanto estão no corpo do hospedeiro, eles possuem condições ideais para seu desenvolvimento, como temperatura e umidade adequadas, além de dispor de alimentação em abundância. Já quando estão no meio ambiente, tornam-se vulneráveis, ficando ameaçados e morrendo facilmente, devido à claridade excessiva, à presença de oxigênio, de calor, e à falta de alimentos. O tempo que esses microrganismos passam fora do hospedeiro deve ser suficiente apenas para que alcancem novos organismos, continuando seu ciclo de vida. Tais vetores podem ser moscas, mosquitos, ratos, baratas, porcos, aves, caramujos, trazendo a presença de microorganismos impossíveis de serem vistos a olho nu.


Cuidados com a saúde (Aferição de Pressão Arterial e Teste de Glicemia Capilar)


A glicemia capilar no monitoramento do diabetes é um grande avanço, frequentemente realizada com amostras coletadas em ponta de dedo, imprescindível no controle do DM tipo 1 e de substancial importância na avaliação do paciente diabético tipo 2 (FERRAZ & MAIA & ARAÚJO, 2004). A Hipertensão Arterial Sistêmica é a mais frequente das doenças cardiovasculares. É também o principal fator de risco para as complicações mais comuns como acidente vascular cerebral e infarto agudo do miocárdio, além da doença renal crônica terminal. (Brasil, 2006) Hipertensão Arterial é definida como pressão arterial sistólica maior ou igual a 140 mmHg e uma pressão arterial diastólica maior ou igual a 90 mmHg, em indivíduos que não estão fazendo uso de medicação anti-hipertensiva. (Brasil, 2006) 

Como Citar
FERP, UGB et al. DIA D- LUGAR DE LIXO É NO LIXO. Simpósio, [S.l.], n. 2, out. 2017. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/277>. Acesso em: 20 ago. 2022.