O AUTISMO

As Atividades Aquáticas como Possibilidade de Promoção à Qualidade de Vida para Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA)

  • Sandro Gonzaga de Aredes
  • Denise Ribeiro Neves Silva
  • Elaine Dias Gemellaro
  • Diogo Lopes do Santos Melo

Resumo

Considerando que o Transtorno do Espectro Autista – TEA é caracterizado por alterações marcantes no desenvolvimento da linguagem e da interação social, com um conjunto de condições comportamentais com prejuízos no desenvolvimento das suas habilidades sociais, da comunicação e cognição, por meio de uma pesquisa bibliográfica, com abordagem acadêmica qualitativa, utilizando-se de observação participante de campo e depoimentos de alguns pais, podemos justificar que a atividade aquática é uma poderosa ferramenta no desenvolvimento das habilidades globais de uma criança autista, oferecendo várias oportunidades e possibilidades de melhora na saúde física, psicológica e social. O objetivo foi demostrar através das atividades aquáticas, as possibilidades de desenvolver o aspecto psicomotor, tendo em vista as limitações causadas aos indivíduos com o transtorno, além de contribuir para a melhora de ajuste postural, possibilitar a melhora da autonomia, oferecer situações que possam contribuir na interação social e estimular o desenvolvimento da percepção corporal. Utilizando-se de uma pesquisa descritiva, com estudo de campo, de forma assistemática como metodologia, foram coletados depoimentos de pais de pessoas com autismo. Diante disso, acredita-se que as atividades físicas, contemplando o esporte aquático, com a prática e orientação adequada, oferecerem confiança e o suporte de que as mesmas necessitam para desenvolverem todas suas habilidades.

Como Citar
AREDES, Sandro Gonzaga de et al. O AUTISMO. Simpósio, [S.l.], n. 9, fev. 2021. ISSN 2317-5974. Disponível em: <http://revista.ugb.edu.br/ojs302/index.php/simposio/article/view/2228>. Acesso em: 26 out. 2021.